sábado, 14 de março de 2009

Falência educacional: complô ou lógica?

Falência educacional: complô ou lógica?

"Quem coloca seus filhos em escolas particulares (12% do total das matrículas da educação básica) comete um grave equívoco: acredita que essas escolas são boas apenas porque são melhores do que as escolas públicas. Assim, despreocupa-se da educação dos filhos e da qualidade da escola pública"

Quando se fala em educação no Brasil, algo não faz sentido. Todos exaltam o benefício da educação e apontam-na como a solução de nossos problemas. Todos parecem engajados em sua melhoria. Apesar desse consenso e da boa vontade, nossas escolas patinam, e sua qualidade só tem decaído. Para explicar essa curiosa dissonância, era comum ouvir, dez anos atrás, a ideia de que nosso fracasso na área se devia à falta de "vontade política" de nossos governantes, ou ainda ao complô das elites pela alienação do proletariado, ou, finalmente, às imposições do Fundo Monetário Internacional (FMI), que supostamente exigia o corte de gastos na educação em seus acordos com o país.

De lá para cá, os dotados de "vontade política" chegaram ao poder, as elites de antanho deram lugar à república dos sindicalistas e o Brasil já não precisa mais da tutela do FMI, ao qual não deve nada. Mas a melhora esperada não veio. O resultado do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) de 2005 é mais baixo que o de 1995. Apesar disso, o discurso da área educacional continua o mesmo. Será que eles estão certos, e que há um complô tão poderoso a favor da nossa ignorância que nem os próprios atores da nossa tragédia percebem a sua insignificância? Estariam as "forças ocultas" de Jânio Quadros rondando novamente os palácios, de onde talvez jamais tenham saído? Ou será que nosso atraso é mais compreensível à luz de uma análise racional dos envolvidos na área, presumindo-se que eles agem de maneira lógica e maldosa? Creio que a segunda hipótese é a mais provável: nossa inércia é compreensível se entendemos a economia política dos grupos envolvidos.

Comecemos pelos alunos. Eles aprendem muito pouco, e são os maiores interessados em seu próprio sucesso acadêmico. Por que não protestam? Há, em primeiro lugar, a questão etária: não é possível imaginar que crianças de 10 ou 12 anos se mobilizem em passeata pública por um ensino de melhor qualidade. Quando os alunos se dão conta das deficiências do seu ensino, costuma já ser tarde demais, e a própria carência educacional dificulta a reclamação: é improvável que um semiletrado escreva um artigo cativante ou uma carta pungente ao seu congressista. Em segundo lugar, os alunos são condicionados pelo seu sistema de ensino a acreditar que o culpado pelo insucesso do aluno é ele mesmo. Nessa missão, seus mestres são extremamente efetivos: em pesquisa recente da Unesco, 82% dos alunos ouvidos dizem que, se o aluno não passa de ano, a culpa é sua, muito mais que da escola (mencionada por apenas 5%) ou dos professores (3,7%). Para piorar, os próprios pais culpam o filho pelo insucesso na escola: pesquisa publicada no livro A Escola Vista por Dentro indica que 63% dos pais da escola municipal e 54% dos da estadual culpam o filho por sua repetência. Cercados por esse mar de desconfiança e assolados pelo próprio desconhecimento, os alunos protestam mais com os pés que com a cabeça: quando entendem que a escola lhes consome muito tempo sem dar muito em troca, abandonam-na.






Juca Varella/Folha Imagem



O FMI SE FOI
E as elites saíram do poder, agora ocupado por governantes com "vontade política", mas a esperada melhora da educação não veio


O próximo grupo de interessados pela educação é o dos pais dos alunos. Por que eles aceitam bovinamente uma péssima educação para seus filhos? Aqui devemos dividir esse universo em dois: há o grupo de classe média e alta, que coloca os filhos em escola particular, e o restante da população, que usa a escola pública.

Quem coloca seus filhos em escolas particulares (12% do total das matrículas da educação básica) comete um grave equívoco: acredita que essas escolas são boas apenas porque são melhores que as escolas públicas. Assim, despreocupa-se da educação dos filhos e da qualidade da escola pública. O problema é que a escola particular é também muito ruim – basta ver os resultados dos alunos de alto nível socioeconômico em testes internacionais como o Pisa, em que nossos alunos ricos têm desempenho pior que o dos alunos mais pobres dos países desenvolvidos. E o segundo problema é que, como a escola pública forma, via de regra, os professores da escola particular, enquanto não melhorarmos todo o sistema, não teremos educação de qualidade para ninguém. Mas os pais das escolas particulares não entendem isso; afastam-se da questão educacional por acreditar que essa problemática não os afeta.

Esperar-se-ia, porém, que os pais de alunos da escola pública (os outros 88% das matrículas) estivessem profundamente descontentes com a educação dos filhos e bradando por sua melhoria. Mas não estão: as pesquisas apontam que, pelo contrário, estão satisfeitos com a escola das crianças. Essa visão não é causada por preguiça ou desinteresse, mas por despreparo. Pesquisa do Inep mostrou que quase 60% dos pais do ensino público não completaram nem o ensino fundamental, 73% têm renda inferior a três salários mínimos, três quartos nunca ou raramente leem jornal. Pesquisas qualitativas mostram que esse pai compara a escola da sua época – em que faltava vaga, não havia merenda nem transporte – com a escola do filho. Vendo todas as benesses materiais que o filho recebe, associa-as a uma educação de boa qualidade. Reclama quando o professor falta à aula, mas é só. Se o pai acha a escola boa e o filho vai mal, então é natural que o pai culpe o filho e exima a escola, perpetuando o sistema roto.

Depois dos pais, temos os diretores escolares. Destes, segundo o MEC, 60% são indicados pelo Poder Executivo de sua cidade ou estado. Menos de 10% são concursados, outros 19,5% são eleitos. É provável que a maioria, indicada por políticos, não esteja disposta a bancar grandes revoluções em suas escolas, que poderiam levar à sua destituição – especialmente se prescrevessem aos seus professores as medidas impopulares que estão associadas ao melhor desempenho acadêmico, como uso constante de dever de casa, avaliação de alunos, redução do absenteísmo docente, uso intensivo de material didático e utilização do tempo de aula para tarefas expositivas, e não cópia do quadro-negro ou realização de exercícios. A maioria dos diretores é composta de ex-professores, o que reforça o corporativismo, e não há no Brasil instituições de ensino que preparem uma pessoa para o ofício de diretor escolar, de forma que mesmo os diretores bem-intencionados são frequentemente despreparados.

Vejamos o professor. Por que ele não produz uma educação de melhor qualidade? Em primeiro lugar, porque não consegue. O professor brasileiro tem uma péssima formação e não é preparado para encarar uma sala de aula do Brasil real, especialmente em áreas de vulnerabilidade social. Em segundo lugar, porque é tomado por um viés ideológico que torna o sucesso acadêmico insignificante. Em pesquisa da Unesco, só 8,9% dos professores indicaram "proporcionar conhecimentos básicos" como uma das finalidades importantes da educação. "Formar cidadãos conscientes" ficou com 72,2% das preferências. Confrontados com o seu fracasso, então, nossos professores têm duas respostas-padrão: ou culpam o aluno e seus pais, ou culpam a visão neoliberal e reducionista de quem reclama da escola que forma analfabetos, porque a educação "é muito mais do que isso".

Finalmente, chegamos à última peça dessa engrenagem, aquela que é paga e eleita para administrar o sistema e zelar pelo bem comum: os políticos. Se o político for desonesto, a educação será um ótimo lugar para tirar dinheiro: não só concentra uma parte grande do orçamento (no mínimo 25%) como ainda é cheia de transferências do governo federal. Tem uma grande vantagem: se o sujeito rouba da saúde e faltam remédios ou médicos, a população chia; se rouba dos transportes e faltam ônibus, os eleitores reclamam; se rouba da educação e os alunos não aprendem, ninguém se importa. Mas, mesmo que o político seja honesto e comprometido com o progresso da sua região, é confrontado com uma decisão indigesta: se ele quiser mesmo reformar seu sistema educacional, terá de parar de investir em merenda ou em prédios e investir na formação de diretores e professores, terá de cobrar o seu desempenho, terá de mobilizar pais e alunos, terá de remanejar professores e funcionários incompetentes. Tudo isso causa des-conforto. Se a experiência de estados reformistas na área, como São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais ou Sergipe, servir de exemplo, o descontentamento descambará em greve. Os professores são uma das categorias profissionais mais numerosas e vocais em suas reclamações. Os beneficiários dessas reformas mal sabem que têm um problema e, portanto, não reconhecerão a melhoria. Se tiverem de deixar de trabalhar para cuidar dos filhos sem aula por causa da greve, perigam ser contrários às reformas. O lógico, nesse caso, para os políticos, é fazer o quê? Exatamente: nada. Assim vamos ficando, ano a ano, mais ignorantes e despreparados.

Créditos:
"dubitandum"
Gustavo Ioschpe
Economista, especialista em educação
18 de fevereiro de 2009

“de omnibus dubitandum est”(duvide de tudo)

48 comentários:

Ademar Oliveira de Lima disse...

Concordo com o autor do texto!
Abraço Prof. Ademar!!!

fabinho disse...

acredito que a culpa nao e da escola e e sim dos governantes que muitas vezes nao mandam recursos (verbas) para as escolas publicas.acho que o governo enveste pouco no ensino e muito em outras coisas que nao valem apena,tornando assim as escolas publicas desvalorizadas pela sociedade.hoje em dia as escolas publicas estao cada vez mais e mais desmotivadas e a situação cada vez mais precaria.
um pouco e culpa da sociedade tambem que nao se revolta com nossa forma de governo e deixa nossos governates tomarem conta de tudo,por isso qe a educação esta do jeito que esta.

desebell disse...

achei o texto interresante pois retrata bem a educação brasileira como ela e precaria ou seja "pobre"poucos se preocupam com ela,acho que o governo deveria envestir mais na educação brasileira pois em educação nao podemos trabalhar.
acho que as pessoas de classe mais alta colocam seus filhos nas escolas particulares e por que as escolas publicas estao assustando cada vez mais e mais os brasileiros com assaltos drogas e etc...

desebel barcellos 3°c

thais disse...

Na minha opinião, a educação no brasil está cada vez pior, tanto em escola publica e na particular. Sendo que o problema é de ambas as partes, professores, governo e alunos. O governo porque o assunto educação não é uma prioridade assim como qualquer outro, já os professores, alguns não são qualificados para enfrentar uma sala de aula e uma escola com dificuldades e precariedades. E nos pelo simples motivo, que é a minoria de alunos que se interessa por estudar. Assim nos tornamos como o autor do texto diz no final, "ano a ano,mais ignorantes e despreparados".
Thaís Rodrigues Cruz 3c

pamela disse...

Eu concordo com texto, porque se nos colocarmos os nossos filhos numa escola particular eles tem mais chance de passar no vestibular do que a escola publica, porque o ensino da escola publica é um ensino não valorisado!
Pâmela Quadros 3C.
bjs...................

Rafael disse...

"Assim vamos ficando, ano a ano, mais ignorantes e despreparados." Acredito que só não está melhor a educação brasileira devido a pensamentos como esse... se continuarmos fechando os olhos para os problemas e aceitando a situação, continuará tudo como está. A partir do momento que políticos, alunos e professores principalmente tomarem a iniciattiva de fazer a educação melhorar, é que não ficaremos mais ignorantes e despreparados.

Rafael disse...

Rafael de Lima 3º C

Mariana disse...

acho que isso tudo nao e so um caso de despreparo,mas tambem um caso de medo e ignorancia da populaçao que despreparada e sem informaçao de qualidade ,que nao e os jornais e novelas se prende a somente essa vida ,e realmenta acreditam que estao corretos com as suas decisoes que nao fazem nem uma diferença a sociedade que me disculpa o termo se faz de idiota e cega.

mariana janelli 3c

Anderson disse...

Nome: Anderson
Turma: 3-c

Na minha opinião as escolas particulares são bem mais preparadas que as escolas publicas, ou seja o ensino dessas escolas particulares são melhores que das escolas publicas tornando os alunos mais aptos em ter um futuro melhor..

Jessica disse...

Na minha opinião o ensino público é visto pelos políticos com descaso.Pois investem em "tudo"menos na educação,aliás para quê né!Que diferença faz se um aluno de ensino médio e de escola pública saiba potênciação para entender física.Regras básicas de português muitas vezes passam despercebidos no fundamental,Outra coisa que deve ser mencionada é a preocupação dos pais em relação a escola que seus filhos estudam,eles acham que por pagarem impostos e contribuirem com a previdência que seus primogênitos terão um ensino de qualidade.
Mas fico me perguntando ,para os nossos pais é mais importante passarmos de ano não sabendo absolutamente nada ou repetirmos a mesma série e continuarmos a não saber nada?É indispensável o acompanhamento dos pais no desenvolvimento dos filhos,já que quando crianças não entendemos que a falta de conhecimento no início da vida nos prejudicará no futuro.

juliana disse...

Achei o texto muito interessante,pois fala do preconceito que existe com o ensino público que realmente ainda está precário,mas isso não quer dizer que as escolas particulares sejam melhores, muito pelo contrário o ensino nas escolas públicas tem melhorado muito é lógico que ainda tem o que melhorar. Mas é lógico que os governantes tem que se importarem mais o índice de reprovação é uma coisa preocupante e como diz no texto ninguém tem feito nada para melhorar mas com o tempo isso mudará e os Pais não terão mais que se preocupar em colocar seus filhos em escolas particulares achando que o ensino vai ser melhor!JULIANA FERNANDES 3C

gabriel disse...

Na minha opinião a educação no Brasil não é levada a sério nem em uma escola Particular e muito menos em uma escola Pública,como diz o texto se o político a governar o estado for desonesto ele desviara a verba para o bolso dele e o povo nem irá perceber, mas se o político for honesto e resolver investir a verba devida na educação e fizer algumas modificações o Povo não vai ficar satisfeito com essa mudança e vai acabar berrando e ninguém vai gostar...
O ensino da educação de uma escola Particular não é muito diferente do que o ensino de uma escola pública, tanto é que eu tenho um amigo que quando estudou na escola particular nunca rodou e quando passou a estudar em escolas públicas suas notas foram péssimas e acabou rodando de ano.Isso quer dizer que na escola particular em que ele estudou e não rodou os "Professores" passavam ele de ano e quando passou a estudar em uma escola pública rodou de ano e as atitudes de aprendizagem era a
mesma em ambas escolas....
Nome Gabriel G. Ferreira

Fenando Daniel disse...

hoje a educacao melhoro mas falta muita coisa para chegar,
numa educacao de qualidade!
sempre tem um problema ; e atraco de salario dos professores, e falta de merenda!isso so prejudica no crescimento da educacao!e para isso melhorar tem queinvestir em merenda ou em prédios e investir na formação de diretores e professores, terá de cobrar o desempenho do aluno, ,terá de remanejar professores e funcionários incompetentes.fernando mininni.

katis disse...

Hoje em dia a educaçao esta em uma situaçao precaria e na verdade nao sei dizer de quem é a culpa porque quase ninguem colabora com a educaçao,ninguem se preocupa.
Os alunos nao aproveitam a chance que tem de estudar e acabem tirando a chance de pessoas interessadas realmente.
Os pais quase sempre nao sabem nem se o filho estuda ou nao realmente e muitos professores acham que quem tem que se preocupar mesmo sao os alunos porque eles que tem um futuro pela frente mas na verdade todos tem que se preocupar um pouco e ajudar um pouco!
E com a questao financeira vou ser direta "dinheiro nao compra inteligencia"!
Katiucia T. Pires 2°f

Mariza Barboza 3°C disse...

Enquanto não melhorarmos todo o sistema ,não teremos educação de qualidade pra ninguém acho que a solução esta´ ai falta boa vontade de todos os envolvidos ,mudar o sistema requer muito trabalho,muito tempo.
Exite miutos intereses e muita comodida de todos os envolvidos .

renata disse...

não teremos uma educação de qualidade pois as pessoas sao acomodadas,pra elas está tudo numa boa.só pensam em fazer trotesto se a questão for salário,e não é só isso que tevemos nós preucupar mas também com a educação,que cada vez mais é desvalorizada.os jovens não tem muito encentivo de estudar e já em casa não tem um encentivo do pais.então eu acho que para melhorar um pouco, mais o ensino as pessoas teveriam ter um pouco mais de vontade,e fazer valer apena todo nosso sistema que é precario.

daimesquita disse...

Em primeiro lugar, o autor nos fala dasuposta decadência nas Escolas do País.
As crianças são mais acomodadas do que as outrora, pois algumas vezes acreditam que o insucesso é deles próprios e não de um regime educacional falido, tendo o mesmo ponto de vista dos pais, muias vezes levando-os a evasão.
Em uma breve reflexão, há uma rápida comparação entre Escola Pública e Escola Particular,onde os de classe alta mascaram o ensino péssimo do País.
A preguiça, o desinteresse,o despreparo fazem com que os pais se acomodem,. Só reclamam da Escola por fauta de professor,pois, muitas vezes, a Escola passa seruma extensão de suas casas, assim como, um tempo dispoível para seus pais descansarem, para alimentar seus filhos e de lazer no final de semana.
Os diretores, muitas vezes, são indicações políticas e não atuantes na ária, por isso, não há dedicação maiorpara romper este ensino " de faz de conta" ou seja "faz que ensina e faz que aprende".
O comentário, faz-nos pensar, que por ter professores despreparados, a Educação vai mal, e também por falta de incentivo, tudo se "empurra com a barriga". Assim , o professor despreparado, condiciona o despreparo dos alunos e ambos se complementam.
Quanto a política, os políticos não se interessam pelo educando, pois este lhe trará o voto e não os incomoda, devido desonhecer os assuntos pertinentes, deixam para depois, e logo esquecem o por quê da má formação acadêmica dos filhos. Caso persistem em fazer cobranças mais rígidas; surgem então, as greves e os eleitores desaparecem.
Concluindo, devemos deixar, a ciranda como está. O aluno finge aprender e a Escola finge lecionar.

Aline disse...

As escolas publicas não são a melhor opção para garantir um futuro melhor e com qualidade para competir no mercado de trabalho.
A escola particular é mais atenciosa e rigorosa com o aluno pois tem quem pague por aquele ensino e também para reclamar do ensino que seus filhos estão tendo.
já os colégios publicos seja ele Municipal ou Federal, não é, e não podemos de maneira alguma igualar a uma escola particular.
O aluno da escola particular tem a atenção e a cobrança
de seus país.E na escola pública muitas crianças estão matriculadas não pelo futuro deles mas sim pelo valor que o governo repassa para o responsável.
Isso sim é o maior erro, pois até mesmo aquele vai com a intenção de garantir uma refeição para a família do que mesmo um futuro pra ele próprio, pois muitos deles não recebem essa atenção e orientação de seus familiares para estudar e ter um futuro melhor do que o pai ou mãe pode oferecer.
Aline Da Silva Grimmler 2ºf

leticia disse...

Eu concordo plenamente com o texto.Todos citados acima tem sim sua parcala de culpa,pois se niguém reclama é porque esta bom e assim não há o que melhorar.Infelizmente a educação no Brasil não é levada a serio,em alguns estados tem crianças que só vão a escola para comer a merenda isso quando tem alguma coisa para comer.Eu acridito que o governo pensa que quanto mais inteligente é o poso menos ele terá vantagem sobre eles.

priscila lemos disse...

Adorei o texto, acho que é bem isso que acontece no nosso país. Nada mudara enquanto todos nao terem consciencia que educaçao é algo muito importante, e que todos devem se engajar nessa causa.
bjss

jean disse...

Eu acho que a questão da educação se deve ao fato de ser uma das maneiras mais faceis de se ganhar votos no Brasil.Pois é só um politico prometer melhorar a educação que ele ganha votos.
Acho tambem que a segurança,os meios de transporte e a saúde estão ligadas a este fator.

EDY disse...

todos temos nossa porcentagem de culpa,começa que estamos en un pais que não prioriza educação onde nada se leva a serio,temos proplemas en tudo,começa se o aluno não estiver estabilizado temos dois caminhos a trilhar estudamos ou trabalhamos e sempre pegamos o caminho mais longo que o trabalho.
Mais tarde falta oportunidades o mercado exige boas formaçoes,voltamos a escola, mais as dificuldades são maiores.
O maior culpado somos nos sabemos que educação não e levada a serio e ficamos de braços cruzados esperando que mude eo tempo passa e continua do mesmo jeito paradados
EDEN CAVALHEIRO 3ºC

andriele disse...

A CULPA NÃO É DAS ESCOLAS MAIS SIM BOA PARTE TAMBEM É DOS ALUNOS QUE NÃO SE DEDICAM E ACABAM RECLAMANDO DE TUDO SEM AO MENOS SE ESFORÇAR PARA SABER QUAL SUA DIFICULDADE NA VERDADE O QUE TÁ FALTANDO NESSE MUNDO É UM POUCO MAIS DE DEDICAÇÃO E QUER CONQUISTAR AS COISAS E NÃO QUER GANHAR TUDO DE MÃO BEJADA OS JOVENS DE HOJE SÃO MUITO MIMADOS JÁ NÃO SABEM MAIS DAR VALOR A NADA ENTÃO EU DIGO"COLOCA UM SERVIÇO NO CORPO E APRENDE A VIVER"1 PRA NÃO PADECER MAIS TARDE E TER QUE DEPENDER DE ALGUÉM!!ANDRIELE 2G

Bruno disse...

O que mais precisamos nesse caso e de uma pessoa de pulso firme disposta a lutar pelo direito da educação , pois na minha opinião a escola e deixada sempre por ultimo plano ela não tem seu devido respeito , as pessoas são muito acomodadas e não e só nas escolas publicas mas tambem nas particulares , enquanto não fizermos nada para combater esse pouco caso feito pela política em relação a educação não sei onde nosso ensino vai parar.

william disse...

É INFELIZMENTE TEM "CAÍDO" MUITO O EDUCAÇÃO NOS DIAS DE HOJE.
AS PESSOAS NÃO DÃO VALOR PARA O QUE ESTÃO APRENDENDO, MAS SIM EM TERMINAR OS ESTUDOS.
OS PAIS COLOCAM EM ESCOLAS PARTICULARES, POR SEREM MELHOR que as publicas, MAS TALVEZ AS ESCOLAS PUBLICAS POSSAM TER ENSINOS BONS...
POR ISSO TEMOS QUE VALORIZAR O QUE APRENDEMOS E Ñ A ESCOLA QUE ESTUDAMOS, E PRINCIPALMENTE PARA DE CRITICAR A ESCOLA OU OS PROFESSOR(ES), E TENTAR ESTUDAR MAIS PARA CRESCER NA VIDA PESSOAL E PROFICIONAL!!!
WILLIAM TORRES 2° G

Bruno disse...

O que precisamos e de uma pessoa de pulso firme e com disposição de lutar pelos direitos de ensino .
No braisl os políticos fazem pouco caso de nossas escolas tanto as particulares quanto as publicas ignoram totalmente a necessidade de verbas para uma escola funcionar , na minha opinião se nada mudar não sei onde vamos parar.



BRUNO JACHSON MENDES 2°ANO G

Thathazinhah disse...

Acho que a educação esta cada vez pior, os alunos não querem nem saber de estudar (alguns) e o governo também não estão fazendo nada para melhorar essa situação.
Não mandam verbas para as escolas e com esse governo esta cada vez pior e ninguemfaz nada para melhorar.

Anônimo disse...

A EDUCAÇÃO FAZ PARTE DAS ESCOLAS E O PRINCIPAL DOS PAIS, HOJE A EDUCAÇÃO DECAIO POR CAUSA DOS JOVENS, QUE NÃO LEVAM A SERIO A EDUCAÇÃO BRASILEIRA. NA MINHA OPINIÃO NÓS JOVENS TEMOS QUE CULTIVAR EXPLORAR OS PROFESSORES PORQUE ELES ESTÃO ALI PARA APOIAR. ASSIM NÓS TEREMOS UMA EDUCAÇÃO MELHOR DEPENDE DE NÓS ALUNO E EDUCADOR.

ELIANA 2G

Luciana disse...

Parabéns, professor! Vejo que os alunos estão bem interessados nesse processo de participação e aprendizagem. Parabéns também a nossos alunos da Escola Monsenhor por estarem levando tão a sério essa proposta de trabalho. Parabéns a todos vocês!
Luciana Fonseca - Professora de Língua Inglesa.

Felipe disse...

É eu concordo bem com o que o texto diz, a educação no brasil é péssima.O governo brasileiro não investe quase nada na nas escolas,a e os pais muitas vezes mesmo não tendo muitas condições, tem que por seus filhos em escolas particulares para que eles tenham alguma chance de passar nos vestibular.Mas aqueles pais que não tem a minima condição de por seus filhos em uma escola que tenha um ensino melhor como as particulares são obrigados a por eles nas escolas precárias do governo.

Felipe Dutra 2ºG

bruno disse...

Eu acho que a educação em alguns lugares não são as escolas que não ensinam e sim são os aluno que não se dedica a os estudos que sera muito ultil no futuro de cada um de nós.



Bruno Alves 2°g

Kalvin disse...

Acho que precisamos rever alguns conceitos, num mudo de modernidades como esse, acho que estão esquecendo de algumas virtudes do passado que não tem século que as apague.... Estão si perdendo respeito pelo cidadão(alunos , professores, e governo), está si perdendo amor ao trabalho, alguns governantes estão mais preocupados com o seu bem estar do que com os seus projetos prometido a população. entre outros motivos o desvio de verba soa forte pelo lado do Piratini.

maicon disse...

acho que hoje em dia ensino realmente esta muito inferior mas não injeral algumas escolas ainda puxa pelos alunos mas ja en outra não e assim por isso os alunos não aprovam e fica ruim quando fazer um vestibular ou faculdade todas as ecolas devian ter ensino regular e preparatorio.



Maicon Rosa 2°g

maicon disse...

Acho que hoje em dia o ensino esta muito inferior mas não em geral alguma escolas ainda puchão pelos alunos mas ja em outras não e assim oque fica ruim quando o aluno for faze um vestibular ou faculdade todas escolas devian ter ensino regular e preparatorio.



Maicom rosa 2°g

emerson disse...

as pessoas responsavel pelos alunos acham que as escolas privadas sao melhores no ensimo mais os alunos saim sem saber nada mais nas escolas publicas acabam aprendendo mais...

r disse...

Acho que precisamos rever alguns conceitos, num mudo de modernidades como esse, acho que estão esquecendo de algumas virtudes do passado que não tem século que as apague.... Estão si perdendo respeito pelo cidadão(alunos , professores, e governo), está si perdendo amor ao trabalho, alguns governantes estão mais preocupados com o seu bem estar do que com os seus projetos prometido a população. entre outros motivos o desvio de verba soa forte pelo lado do Piratini.
rhaylander 2G

Stephanie Prietsch disse...

Bom, o texto é interessante! Mas a educação hoje em dia, está muito precária. Tanto nos particulares quanto nos públicos!
O governo devia investir mais na educação, do que em outras coisas 'banais'.
Porque como dizem né, sem ensino, não tem trabalho!
O estudo hoje em dia, é a base de qualquer emprego.
Sem no mínimo um ensino médio, não conseguimos um emprego, com salário mínimo.
Governo deve cuidar mais das suas escolas, e seus ensinos!

karina disse...

este texto nada mais e que a pura verdade,falta interesse nos estudos dos alunos e os professores contudo acabam se desgostando de ensinar.para o ensino melhorar depende da uniao de todos envolvidos na escola e colaboraçao de todos os lados.

karina 2G

Amanda disse...

É bem o que diz o texto que esta acontessendo em nossas escolas,porque são poucos os que se intereção com a educação por parte do governo não temos ivestimentos nessesario e os alunos não se intereção com os estudos só querem molesa e alguns professores não estão nem ai para o acontesido.
A EDUCAÇÃO NO BRASIL ESTA PRECÁRIA!!!

dariane disse...

dariane2f;na minha opinião o esino das escolas particulares é a mesma coisa que a do estada,porém só sabem reclamar dos professores mais els tentão fazer as suas tarefa,nós alunos temos que fazer a nossa parte vir a escola é estudar não fazer deconta.

jennyh disse...

Nossas escolas estão jogadas ás traças. A começar pelo nosso governo (RS) que proporciona provas de supletivos que aprovam todos que a prestam, só para que os índices de educação do Rio Grande do Sul estejam altos... É uma vegonha!!! Nossa educação esta depredada...
Jennifer Soares
3° C

jennyh disse...

Acho que a nossa educação esta abalada tanto por parte dos professores, desestimulados pelos seus salários, quanto por parte dos alunos, que estão desviando suas atenções para outras coisas ( drogas, festas, bebibas, etc). Esta virando um caos total...
Jennifer Soares
3° C

Elizangela disse...

esse texto esta querendo comentar algo interesante para nos estudantes de escolas pubricas eles os politicos nao fazem nada pela educaçao so querem ganhar dinheiro e nos que nos damos mal com essa historia.
elizangela 3c

sheila disse...

É bem complicado tratar de educacão sem se preocupar com vários fatores muitas vezes comtra outras vezes favoráveis mais o interessante é que a educação no Brasil e considerada uma das fracas do mundo, não por discredito de pais ou professores mais sim pela sociedade em geral que não "dá" uma enfasê para a educação a qual faça todos terem a vontade de ler, parar men que seja uma hora de seu dia para estudar.(Isso não tem valor para os governante deste país) para eles a desgraça aleia, a pobreza e quanto mais longe da escola ficarem melhor.Penso totalmente diferente, porém quando leio noticiários ou vejo telejornais acho que messe país educação praticamente é inexistente.

Ki disse...

Acredito que a educação está assim, porque os politicos querem.
O que mais eles vão querer do que de pessoas sem estudo que não vão entender bem oque esta acontecendo no governo deles, e sendo asssim não poder os criticar.

Jaqueline 2F

dione disse...

As escolas particulares são melhores no lado financeiro mas no lado educacional pra mim a escolas publicas são melhores mesmo com toda a falta de extrutura e falta de recursos. Mas um aluno de escola particular tem mais chances de entrar na faculdade do que um aluno que estuda em uma escola publica...
dione 3C

Anônimo disse...

Eu acredito que educação se deve a maneiras menos complicadas de se ganhar votos. Pois sabemos que a aréa da educação no brasil é de baixa qualidade. Pois prometer melhorar a educação sem dúvida é ganhar votos; E sendo assim sabemos também que é a única maneira de crescermos o Brasil.
Segurança,os meios de transporte e a saúde estão estão relacionadas a o mesma situação.
Lucas Nogueira.

Stael disse...

Na minha opinião as pessoas que tem mais condições financeiras tem mais chances de ir adiante nos estudos, pagando uma faculdade e saindo pronto para exercer uma profição.
Também acho que as pessoas que se preparam para entrar em uma faculdade pública devem batalhar muito mais. A educação, saúde... pública hoje em dia não tem tanto investimento, falta um pouco mais de atenção dos governantes.