quinta-feira, 13 de agosto de 2009

A sombra da solidão

A sombra da solidão

Depois de rirmos do casamento vitalício de nossos pais, parecemos condenados a sofrer do mal inverso
Ivan Martins


Está nas livrarias, em uma linda edição de capa azul com formato de envelope, o livro Carta a D., do filósofo francês André Gorz. O primeiro parágrafo diz mais ou menos assim: você está com oitenta e tantos anos, pesa 45 quilos, tem 4 centímetros a menos do que tinha quando eu a conheci e eu ainda amo você desesperadamente.

Li essas linhas de pé na livraria e fiquei instantaneamente comovido. Quem não ficaria?

Gorz celebra neste livro o amor de 66 anos por sua mulher, Dorine. O romance dos dois aconteceu durante um período (e em meio a um grupo de pessoas) que não ficou marcado pelo conservadorismo afetivo e sexual.

Um exemplo: o filósofo Jean Paul Sartre, de quem Gorz era discípulo, manteve uma relação de toda a vida com a escritora Simone de Beauvoir, ao mesmo tempo em que ambos cultivavam múltiplos amantes. Eram leais um ao outro, mas profundamente libertinos.

Gorz, do contrário, suicidou-se junto com a mulher em setembro de 2007, deixando na porta da casa deles um bilhete para que se chamasse a polícia.

Foram somente os dois, até o fim , como na crônica de Vinícius de Moraes: "gostaria que morrêssemos juntos e fôssemos enterrados de mãos dadas, e nossos olhos indecomponíveis ficassem para sempre abertos, mirando muito além das estrelas".

Logo Vinícius, que parecia incapaz de amar uma mesma mulher por mais do que alguns meses.

Quando olho em volta, quando ouço meus amigos e amigas se queixando, tenho impressão de que somos muito mais parecidos com Vinícius do que com Gorz.

Nossos amores não duram, nossos romances se sucedem, as rupturas nos atordoam e machucam, mas se repetem, inexoravelmente.

Habitamos um mundo de ansiedade e busca permanentes, interrompidas de quando em vez por pequenas tréguas reparadoras, mas breves.

Depois de rirmos do casamento vitalício de nossos pais e avós, parecemos condenados a sofrer do mal inverso: a sombra da solidão constante, a intranquilidade como regra, a incapacidade de manter relações duradouras.

Por quê?

Em primeiro lugar, porque esperamos demais da vida, sobretudo das relações afetivas.

Queremos tudo. O prazer, o amor, a troca inteligente e os planos de longo prazo. Queremos a segurança e a sensação de aventura no mesmo pacote. O melhor sexo e mais resoluta fidelidade. Suspeito que desaprendemos a arte de viver com menos do que se deseja. Esquecemos como é esperar e suportar. É tudo agora. É tudo ou nada. E tem sido nada para muitos.

Claro, somos enormemente egoístas se comparados às gerações anteriores.

Quando se trata de amor, nossa satisfação vem antes de qualquer outra coisa: a família, os filhos, os sentimentos daqueles que se envolvem conosco. O direito à felicidade se impõe sobre tudo mais. Ele é talvez o principal objetivo da maior parte da humanidade: ser feliz. Mas quem sabe o que isso significa nos dias que correm?

Não sei de vocês, mas eu estou cercado de pessoas que se queixam da vida afetiva. Há uma amiga que não consegue se livrar de um cara meio traste e está adoecendo de inquietação. Eu disse pra ela outro dia: amor não é crack, não pode ser um vício tão destrutivo. Mas às vezes é.

Outra amiga casou pela segunda vez com um sujeito que parecia perfeito, mas que ela não amava. Deu errado. Ela sofre pra burro, suponho que o rapaz também. Me disse a amiga outro dia: os homens legais estão casados ou namorando. Por que todos têm essa sensação se tantos estão sozinhos?

Ontem falei com uma ex-namorada que ama um homem casado. Há dois anos se relaciona com ele, entre crises terríveis de raiva e vergonha de si mesmo. Ontem ela me disse que acabou. A ver.

Há o amigo que tenta há semanas namorar uma moça que não quer namorar – e sofre. Eu digo a ele que relaxe, aproveite assim como está, descompromissado, mas ele – como qualquer bípede na Terra – precisa se sentir amado, não gentilmente esnobado. Pode acabar terminando o que nunca começou.

O que fazer com essa multidão sem par?

Eu não sei. Minha analista não sabe. Os meus amigos não fazem ideia. Não dá pra fechar a caixa de pandora das nossas aspirações, mas não podemos ser sufocadas por elas.

Eu sugiro tentar e tentar e tentar ainda outra vez. Sobretudo, tentar fazer diferente: com outro tipo de pessoa, com outro tipo de abordagem, com mais paciência, com menos pressa, com mais atenção no outro (que é sempre um exercício delicioso).

Não é possível que neste mundo imenso não haja alguém que complemente (ainda que temporariamente) cada um de nós, bípedes afetuosos e (potencialmente) felizes.


Créditos: Revista Época, 12/08/2009.

http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI87597-15230,00-A+SOMBRA+DA+SOLIDAO.html


21 comentários:

Rafael de Lima disse...

Seja no lado afetivo, profissional, pessoal, familiar, hoje em dia todos somos impacientes. Assim como tem aquele que quer ficar livre o quanto antes, tem aquele que quer achar a pessoa para ficar ao seu lado pois a liberdade já não o completa. Tem aquele, assim como eu, que faz loucuras em busca de um futuro melhor, uma grande aventura, que há de se pensar duas ou mais vezes antes de tomar a decisão. Deixando pessoas que o amam triste de saudade, e consequentemente ficando da mesma maneira. Conformando-se de que futuramente poderá alcançar o seu objetivo principal. É, as vezes a felicidade está ao seu redor e você não se dá por conta, acaba achando que é pouco para você...
Porém, é preferível abrir mão de certas coisas para conquistar algum objetivo, realizar algum sonho. E é assim que vivemos, sempre em busca de algo, sem desistir, com esperança, assim cumprindo nossa missão aqui, muitas vezes infelizes.

Rafael de Lima 3ºC

Liader disse...

Hoje em dia tanto mulheres quanto homens não querem ter compromisso sério só querem curtir festas com amigos,mas sem nenhum compromisso com alguém.E assim ficam por anos,até que um dia eles cansam e começam a procurar um grande amor.E aí é que está o problema quando cansamos de curtir com outras pessoas percebemos que é muito difícil no mundo em que vivemos encontrarmos alguém que atinja nossas expectativas e que ainda queira ter algo sério,e por um momento voltamos no tempo e chegamos a uma só conclusão:Que fomos muito inconsequentes ao acharmos que não ter nada sério seria a melhor solução,pois conforme passasse o tempo nós envelhecemos e é mais difícil de se arrumar um companheiro para se viver o resto de nossas vidas.Então devemos procurar desde cedo para que no futuro possamos ter um cobertor de orelha para nos aquecer no inverno ou se preferir compremos cobertores industrializados mesmo.he!he!he
Jéssica Porto 3C

Bruno jachson mendes disse...

na minha opinião o amor ainda existe mas o que que esta faltam a a compreenção desse sentimento e pessoas que a possuam , nos dias de hoje com a correria da cidade alguns de nossos sentimentos são deixados de lado por nossa impaciência tanto no lado emocional como no profissional , mas acredito que o amor ainda existe nas pessoas apesar de estar muito incoberto por magos e preucupações mas acredita que ainda exista amor nos corações .






BRUNO JACHSON MENDES 2°G

Felipe Dutra disse...

Em nosso dias o amor seu perdeu muito, as vezes até por si mesmo.São meninas muitas vezes vendendo seu corpo por uma posição social as vezes um pouco melhor, ou por aparências , e da mesma forma os homens.
Hoje em dia um compromisso sério não é mais valorizado, é cada dia com uma pessoas diferente, cada dormindo com um menino ou uma menina diferente.
Mas na minha opinião chega uma hora na vida de qualquer ser humano, tanto homem quanto mulher, que festas e ficar com uma pessoas a cada dia não é mais suficiente, é preciso achar alguem que lhe complete, que realmente te faça se sentir bem e feliz, não apenas em um só momento, mas sim a qualquer momento, que esteja com você sempre, não importando a circunstâncias.
Para mim um dia todo ser humano precisa ser amado verdadeiramente se não a solidão alguma hora chegara até ele.

Felipe Dutra 2G

will torres 2° g noturno disse...

É VERDADE QUE NOS DIAS DE HOJE AS PESSOAS NÃO QUEREM TER COMPROMISSO COM NINGUEM.
NA VERDADE É MEDO DE GOSTAR DE VERDADE DA PESSOA QUE ESTA NO SEU LADO.
MUITAS VEZES É POR TER MEDO DE SE MACHUCAR POR UMA PESSOA QUE TALVEZ NÃO VAI TE DAR VALOR...
TANTO HOMEM, QUANTO A MULHER NÃO QUEREM SE ARRISCAR EM TENTAR ACHAR A SUA CARA METADE.
MAS TEMOS QUE ADMITIR QUE SEMPRE PROCURAMOS ÁLGUEM PARA COMPLETAR O ESPAÇO VAZIO QUE NOS ENCOMODA.
RESUMINDO TUDO...TEMOS QUE ARRISCAR TUDO NA NOSSA VIDA PARA SER-MOS FELIZES!!!
E MUITAS VEZES A NOSSA FELICIDADE TA NO NOSSO LADO E NÃO ENXERGAMOS ISSO.
SÓ ARRISCANDO E TENTANDO COMPREENDER A PESSOA QUE ESTA NO SEU LADO NÓS SEREMOS FELIZES DE VERDADE!!
WILLIAM I. TORRES 2° G DA NOITE

jean disse...

Ainda existe amor, mas as pesoas andam muito mesquinha, não podem ver pessoa nova no pedaço que ja querem pegar. Mas a pessoa que querem algo serio mas nao encontram e quando encontram acabam se decepicinonado.
Mas existe amor ainda, mas esta dificil de encontrar.

Jean 2º F

RENATA BRITTO disse...

Acho que está cada vez mais difícil encontrar um amor verdadeiro,pois só querem um passa tempo ou só um prazer.E não é bem isso que muita gente com maturidade está a procura,por isso existe algumas pessoas que estão sozinhas até hoje por que não se acha mais aquele antigo amor as pessoas só querem é curtir.

claitonjeske_ disse...

Eu acho que hoje em dia esta difícil de achar um amor verdadeiro porque as pessoas apenas querem se divertir e não pensão em se relacionar firme. Mas tem algumas pessoas que ainda tem esse desejo de encontrar um amor verdadeiro, e não ficar na sobra da solidão.

dariane disse...

DARIANE2F;Eu acho que o amor ainda existe basta as pessoas que gostar e respeitar uma a outra e querer ficar juntas, hoje em dia homens e mulheres só querem curtição,e uma noite de prazer é o lhe lá .Amor verdadeiro basta as pessoas gostarem uma da outra é ai dá tudo certo,pois eles se gostam é querem ficar junto é continuo acreditando num amor verdadeiro ou eterno.

mariza barboza disse...

Acho que se procurarmos nossa felicidade nos outros, nunca conseguiremos ser felizes, pois acho que ela está em nós mesmos, temos que procurar um amor para nos acrescentar algo e para aprendermos a compartilhar porque precisamos sentir que somos amados.

Mariza Barboza

Stephanie Prietsch disse...

AMOR? CARINHO? LEALDADE? AFETO? RELACIONAMENTO?
Palavras que são difíceis de escreve, ou sentir.
O mundo está cheio de corações esperançosos, pacientes, e como muito amor para ser dividido.
Mas também há milhares de corações, machucados, revoltados, e iludidos.
Os relacionamentos de hoje em dia, são muitas vezes complicados de se entender.
Sempre é uma amiga reclamando, por falta de atenção.
Ou aquele outro amigo, reclamando por a namorada ser muito grudenta.
Aquela outra, reclamando que pensa que está sento traída.
É muito difícil de se ver um relacionamento instável nos dias de hoje!
Mas, é a vida. Acho que se não deu certo, a vida é longa, é só tentar denovo, não deu? Porque não tentar denovo? Na minha cabeça, sempre existe o par perfeito.
Não exatamente perfeito, mas aquele que te faz sentir saudades, aquele que chega com mimos enchendo nossos olhos de alegria, aquele que te faça chorar por ser muitas vezes orgulhoso, mas que no final te abraça e te dá um beijo!
O negócio é viver cada dia, como se fosse sua vida inteira. Não ficar procurando a felicidade, ou um namorado de um conto de fadas!
É viver, e deixar que a vida vai te mostrar o MELHOR CAMINHO a seguir!

Stephanie Leitzke Prietsch 2ºG

Thais disse...

Eu acho que nos dias de hojeas pessoas não se importam muito com o amor só querem festas e ficar com outras pessoas, esta tudo liberado, não precisam se apaixonar nem namorar paraconseguir "algo a mais".
As pessoas mais velhas sempre dizem que na época delas as coisas eram bem diferentes, que até para beijar tinham primeiro que se casar,e o amor era muito importante.
Thais Botelho da Cunha 2-g

leticia machado disse...

O ser humano é um ser muito carente, exigente, egoísta e esta em constante transformação até formar suas idéias e perceber o que ele realmente quer para sua vida amorosa e afetiva. Antes que isso aconteça ele se envolve com pessoas acabando as vezes se apaixonando,quando isso acontece tudo é maravilhoso para ambos,e ai o sentimento acaba ou se transforma em outro, então vem a decepção e a idéia de que o amor verdadeiro não existe,mas o que as pessoas não percebem é que elas é que mudaram e não os sentimentos, e que tudo esta ali mas foi elas que deixaram de senti-los.
LETICIA MACHADO 3C

priscila lemos disse...

As nossas correrias do dia-a-dia, a nossa impaciencia, nosso egoismo,estao nos deixando sem tempo de amar, de viver, de se entregar. Essa nossa louca busca pela felicidade, que tem que ser pra agora,as vezes nao nos deixa ver que ela esta ao nosso lado, de aproveitar um determinado momento em nossas vidas, sem se preocupar se aquilo é o que exatamente queriamos. Acredito se nos entregassemos a um relacionamento pensando um pouco menos em nós, amando mais ao outro, viveriamos amores como antigamente.
PRISCILA LEMOS 3º C

leticia machado disse...

Acho que as pessoas estão desiludidas em relação ao amor,algumas por decepções amorosas passadas e outras que acham não ter encontrado a pessoa certa.A verdade é que o ser humano é muito carente,ele precisa ter alguém para amar, para se sentir também amado e compartilhar momentos juntos.Então,poprque tem gente reclamando que não se tem pessoas no mundo para amar?Talvez elas estão precisando procurar no lugar certo,ou ainda não encontraram a pessoa certa.
LETICIA MACHADO 3C

Anderson disse...

Hoje em dia esta muito difícil da pessoa encontrar um amor verdadeiro, pois as pessoas hoje em dia querem mais e se divertir e não querem um compromisso serio. Mas ha pessoas que acreditam em encontrar um amor de verdade onde aja respeito um pelo outro.

NOME: ANDERSON SANTOS
TURMA: 3°C

luciana souza da costa disse...

Hoje em dia parece que oamor esta yão dificil de ser encontrado, acho que não é verdade, é só sairmos as ruas para vermos casais apaixonados. Prescisamos é prestar a atenção nas pessoas a nossa volta pra vermos que existem pessoas que nos amam de verdade.
LUCIANA DA COSTA 2°F

Jean disse...

As pessoas tem medo de começar um relacionamento e sair ferido.
Acho que o importante é a felicidade mesmo que por algum tempo com uma pessoa,mas o medo de se ferir faz com que as pessoas não arrisquem a se envolver com outra pessoa.

Jean Mendes 3ºC

katis disse...

A verdadeira felicidade está dentro de nós mas acho que conseguimos perceber isso quando encontramos alguém que consiga nos arrancar isso e faça ela sair naturalmente!
Acho que cada pessoa tem um encaixe e cada um ama nem que seja um pouquinho a pessoa com quem se relaciona por mais que não de certo no momento em que estão curtindo aquilo é único até porque pode não ser perfeito mas com certeza não voltará mais!
Acho que temos que aproveitar nossos amores porque amanhã podemos não tê-los novamente!

Katiucia Pires 2°f

bruno alves disse...

Na minha opinião o Amor existe e sempre exestira.
So que agora e dificel de encontrar alguem que quer tem um relacionalmento seria, por que tem medo que ser descepcionado no final do relacionamento.



Bruno Fagundes 2°g

dione disse...

Eu acho muito dificil achar um amor verdadeiro,porque a maioria das pessoas so querem mais é curtição do que um relacionamento sério,preferem só ficar.É que algumas pessoas tem medo de se ferir ou ferir o sentimento dos outros.
dione 3C