segunda-feira, 21 de setembro de 2009

A polêmica sobre as causas do homossexualismo

A polêmica sobre as causas do homossexualismo

Setembro 18, 2009

por Raymundo de Lima*

Mas, onde foi que eu errei?!!”. Essa é a pergunta que sempre aparece no final de um quadro humorístico do pai que se sente culpado de ter um filho homossexual. Com a maior tolerância da sociedade, sobretudo da mídia, aos homossexuais, muitas famílias ainda se escandalizam e pais demonstram ansiedade diante da possibilidade de seu filho “homem” possa um dia revelar essa tendência psicossexual.

Há controvérsias se o homossexualismo é determinado geneticamente, se é resultado da educação ou do meio ambiente em que a pessoa é criada. O neurobiólogo Roges Goski (Universidade da Califórnia, EUA) fez experiências em laboratórios com ratos e seres humanos, ambos fêmeas, que receberam testosterona (o hormônio masculino) ainda em fase intra-uterina e observou que, desde a primeira fase da vida, elas tinham comportamentos masculinos, como gostos, brincadeiras mais agressivas além de sentirem-se mais atraídas por fêmeas.

Já o geneticista Dean Hamer (Instituto Nacional de Saúde dos EUA) sustenta a tese de que homossexualismo tem determinação genética. O geneticista diz ter descoberto genes numa determinada região, que ele chamou de GAY-1, associados ao homossexualismo. Tal hipótese não teve muita credibilidade no meio científico americano, mas seus defensores dizem haver uma lógica: “se os genes transmitem as características hereditárias e contêm ‘instruções’ para a fabricação das substâncias que fazem os organismos funcionarem, também poderia lançar a probabilidade de homossexuais (assumidos ou não) terem filhos também homossexuais. É uma tese que coloca o homossexualismo não como uma opção ou estilo de vida, mas como resultado de uma variação genética.

Contrário a essa tendência bio-geneticista das causas do homossexualismo, estão os psicólogos e psicanalistas. Não se nega que a base genética de nossas características humanas ou as tendências que temos de desenvolver algumas doenças, por exemplo, tem base genética, mas daí incluir o homossexualismo como quase-doença geneticamente determinada é, no mínimo, simplismo científico.

Daryl Bem, psicólogo da Universidade de Cornell (EUA), pesquisa a formação intra-familiar do homossexual. Quais brincadeiras uma pessoa preferia quando criança, seus gostos por roupas, jóias, tipo de relação com a mãe, com o pai, etc. e concluiu que os incidentes do desenvolvimento, o tipo de investimento familiar e as tendências da própria pessoa, todos esses fatores pesam muito mais na determinação do homossexualismo do que os fatores genéticos.

A nova geração de psicólogos americanos a partir de Judith Harris tende a valorizar as vivências “fora” da família, isto é, as relações interpessoais com vizinhos, colegas da escola e da rua, como fatores que mais pesam no desenvolvimento da personalidade. Nesse sentido, meninos que se comportam segundo o estereótipo de menino (gostam de brincadeiras mais agressivas, se identificam com heróis, gostam de aventuras, ação, são menos obedientes e se encrencam na escola por má conduta mais que as meninas etc) se diferenciam delas que costumam ter um jeito mais suave e introspectivo. O “normal” nessa cultura é esperar que os meninos sintam-se atraídos pelas mulheres, mas não em ser como elas. Porém, sobram perguntas sem respostas satisfatórias. Como entender as pessoas que desde crianças sentem-se atraídas pelo estilo das meninas? Será que, só por essa tendência, fatalmente desenvolverão homossexualismo ou será apenas uma fase passageira? E as meninas que admiram mais as meninas, que são fascinadas por pessoas famosas, será que estão sendo atraídas a se tornarem homossexuais ou trata-se somente de simples admiração?

De nossa parte, esclarecemos que tanto meninos quanto meninas, até a fase da adolescência, não podemos afirmar que serão homossexuais quando adultos, só por terem gostos e jeito do sexo oposto. São fases em que é normal é a presença de estereótipos, facilmente copiados na mídia e repetidos nos gestos, mímica, falas, etc. Ademais, se eles estão ainda em formação total da personalidade, inclui também a psicossexualidade ou sua definição sexual.

Os estudos de Freud, no início do séc. 20, jogaram um pouco de luz nas causas da homossexualidade. Para o pai da psicanálise, três fatores parecem determinar o homossexualismo: a forte ligação com a mãe, a fixação na fase narcísica e o complexo de castração. No primeiro, o homossexualismo teria início devido a uma forte e incomum fixação com a mãe o que impediria essa pessoa de se ligar a outra mulher. O segundo fator, o narcisismo, faz com que a pessoa tenha menos trabalho em se ligar ao seu igual que em outro sexo. A estagnação na fase narcísica faria com que “o amor fosse para eles sempre condicionado por um orgão genital semelhante ao deles” (Ferenczi). O terceiro fator, aponta problemas relativos à travessia da castração, isto é, sofrimentos relativos as perdas e a idéia de morte que deixariam a pessoa acomodada ou acovardada na sua psicossexualidade.

Em verdade, não podemos escapar do fato de que somos todos ambissexuais. Esse termo proposto por S. Ferenczi, em 1914, é ainda útil para exprimir que a criança, num certo estádio do seu desenvolvimento normal, manifesta sentimentos anfieróticos, quer dizer, ela pode transferir sua libido ao mesmo tempo para o homem (o pai) e para a mulher (a mãe). Observa-se em qualquer cultura do mundo — incluso também a nossa — que as pessoas tendem a ter atração pelo mesmo sexo e se distanciam do sexo oposto, ou seja, as amizades são mais fáceis de acontecer entre homens e só de mulheres entre si. Não faz muito tempo, as escolas separavam salas de aulas só de meninas e outras só com meninos, numa evidente opção institucional e inconsciente pela “homossexualidade”. Até hoje, no interior brasileiro, assim como no mundo oriental, os hindús, os árabes, se sentem mais próximos dos homens que de mulheres. Nessas culturas, não há preconceito quanto a homossexualidade, vista nos grupos de danças, nas rodas de jogos, nas conversas e brincadeiras. Esses grupos se organizam segundo as regras da homossexualidade (quer dizer: “igual sexo”) e, no entanto, ao que parece não chegam a ser homossexuais. Por quê? Talvez pelo complexo de castração, o terceiro fator acima proposto pela psicanálise.

De qualquer forma, ainda não foram respondidas a contento as questões: por que algumas pessoas tem preferências ou tendências homossexuais? Será que o homossexualismo não passa de uma espécie de inveja do outro sexo; que deseja ter o jeito do outro sexo? Ou, seu desejo primeiro é não ter desejo, nem ser “macho”, nem “fêmea”, mas de ser o terceiro sexo? Qual o limite da determinação genética quanto a homossexualidade e o homossexualismo? E a influencia desta com os fatores ambientais e a significação atribuída ao próprio sujeito desejante?

No momento, os estudiosos parecem estarem de acordo em somente um ponto: não há uma única causa quanto ao que determina o homossexualismo.

Os pais em geral deveriam educar seus filhos para uma sexualidade sadia, sem preconceitos ou sofrimentos desnecessários. Deveriam ter melhor preparo, mais esclarecimentos e sobretudo saber escutá-los nas suas dificuldades e dúvidas. Os pais de homossexuais, não mais deveriam se perguntar “Onde foi que eu errei?”, mas “Como devo proceder-me para que essa pessoa seja feliz?”, porque em verdade, o amor não ter sexo.

__________

* Publicado originalmente na REA, nº 0, maio de 2001, disponível em http://www.espacoacademico.com.br/000/0ray.htm

23 comentários:

Carol :) disse...

Cada um com seu caso,pessoal mente acredito que cada ser encontra sua melhor maneira de ser feliz,não sendo prejudicial a ninguém "vale tudo para ser feliz"...Quanto as famílias de homossexuais,essas sim devem encontrar um modo de se adaptar a escolha se seus filhos e serem felizes por eles.

Felipe Dutra disse...

na minha opinião isso sempre acontece por problemas familiares, problemas de carência de mãe ou de um pai qu com o tempo causam isso, essa duvida em sua sexualidade.E muitas vezes também por um abuso que a pessoa sofreu quando era criança.Não creio que pessoa nasce assim, até porque Deus não criou um terceiro tipo de sexualidade.Não condeno as pessoas que escolhem essa opção, até poruqe cada um sabe o caminho que segui ou qué seguir, mas também não sou a favor que a pessoa diga que ela nasceu homossexual, ela nasceu homem ou mulher, ela que por algum motivo que aconteceu em sua vida decidiu mudar para outro lado.

Rafael Barboza disse...

Olá professor Otávio.
Não sou seu aluno, mas visito seu blog, porque muitos dos textos publicados aqui são muito interessantes, e também essa metodologia de colocar textos atualizados para que os alunos reflitam e aprendam a discorrer sobre os assuntos propostos é muito sábio de sua parte.
Entretanto, hoje resolvi comentar sobre o assunto, até mesmo porque eu sou homossexual e gostaria de dar alguns pareceres sobre o texto proposto.
O termo homossexualismo está fora de uso, pois ele era utilizado pela medicina quando ser homo era tratado como uma doença. O sufixo - ismo índica doença. O termo apropriado é homossexualidade.
Não pude deixar de perceber que o autor do texto ainda tem uma visão obscura sobre o assunto quando ele cita Freud sem também dizer que as idéias dele sobre a homossexualidade estão totalmente descartadas, pois ele acreditava que o mesmo era um desvio de caráter.
Vivemos numa época aonde aprender a respeitar e tolerar o que é diferente é de extrema importância. Os movimentos pelos direitos da comunidade GLBT já conquistaram muito para a comunidade homossexual, mas ainda muito trabalho é preciso ser feito para que a ignorância não cause mais dor e sofrimento em muitas pessoas pelo simples fato de serem que são. Creio que ninguém escolhe ser “hetero” ou “homo”, mas creio que se Deus existe, Ele criou os dois para mostrar as mais diversas formas de amar e nos ensinar o mesmo para que possamos viver em paz com todos.
Muito obrigado e continue com o bom trabalho.

Otávio Avendano de Vasconcellos disse...

Prezado Rafael

Agradeço a contribuição prestada por ti, que servirá para aprofundar ainda mais a questão. De fato, a sociedade ainda prefere se esconder por detrás de explicações científicas a viver a vida com simplicidade, buscando a felicidade e a paz, já que a arte de viver bem está em aprender a conviver com as diferenças, pois não existem sequer dois seres humanos iguais.

Por outro lado, creio que o autor do texto desconheça a etimologia do termo "homossexualismo", razão pela qual o utilizou, já que ele próprio abomina a hipótese de ser uma doença.

Seja sempre bem vindo. Um abraço!

jean seul disse...

Olá e boa tarde
Após ler o texto postado sinto-me a vontade de escrever. Sou professor de Língua Portuguesa também e militante do movimento homossexual. A "explicação" da homossexualidade como variação genética é pouco fundamentada e vários estudos questionam esta possibilidade. O entendimento do movimento é de que a sexualidade humana é tão diversa e que buscar explicações para esse ou aquele comportamento de nada ajuda a busca da quebra dos preconceitos e harminia entre as pessoas, independente de suas expressões sexuais. Vejo que o debate está bastante interessante e se for interesse da dusciplina e da turma o grupo que represento (TAMBÉM Pelotas - Grupo pela livre expressão sexual)oferece oficinas em escolas para professores e alunos, com o objetivo de discutir e educar para a diversidade sexual.
marcos potenza

Stephanie Prietsch disse...

A Homossexualidade?
Na minha opinião, cada um tem sua vida, seus gostos, e direitos.
Não sou contra, nem julgo ninguém por isso!
Acho que a família, independente da opção sexual da pessoa, deve apoiar e ajudar, aconselhar. Nós somos todos filhos daquele lá de cima, temos o mesmo sangue e próprios direitos.
Ainda há muito preconceito nesse ponto, mas creio que com o tempo não irá existir mais! Ninguém é igual a ninguém, a opção sexual, a vida que vai ser levada, o jeito de andar, de se vestir, só nos diz respeito a nós mesmos!

vilmar disse...

Eu acho cada um escolhe o que quer ser, mas ainda a o preconceito contra os homossexuais, essas pessoas não aceitam isso talvez por se acharem melhores que as outras. Mas cada um deve seguir seus próprios caminhos.

claiton jeske 2ºG

Bruno jachson mendes disse...

Na minha opinião, cada pessoa deve fazer o que é melhor para si , se é da vontade dela ficar com alguém do mesmo sexo não somos nos que vamos ser contra .
Dentre os motivos para o homossexualismo estão : as brigas familiares , casamentos frustrados entre outros , mas também há os casos de pessoa que já nascem com a mentalidade homossexual por exemplo: tem meninos que apresentam traços femininos nitidos e isso não tem influencia de ninguém , simplismente são assim . acho que não a necessidade de haver preconceito , somos todos humanos e isso e que importa

leticia disse...

eu acho que se uma pessoa escolhe ser assim e porque costa do seu jeito de ser e ninguém pode se meter na vida dos outros eu não tenho preconceito nenhum em falar ou andar com essas pessoas assim e meu modo de pensar
leticia 2f

Thais disse...

Na minha opinião, cada pessoa tem seu jeito de se vestir de viver e ninguem tem nada a ver com isso, se uma pessoa quer ficar com outra do mesmo sexo sua familia com certeza tem que apoiar porque essa pessoa esta fazendo o que acha certo e se essa pessoa é feliz assim ninguem tem que julgar até porque ninguem paga as contas dela e quem paga tem que apoiar a sua felisidade.
Thais botelho da cunha 2-g

leticia machado disse...

Temos liberdade de escolha e escolhemos o que nos convém o que nos faz feliz e conforme o que necessitemos e desejamos. É claro que não nascemos predestinados a gostar de outra pessoa do mesmo sexo que nos, isso vem com o tempo e quem vai decidir é a gente, mas mesmo assim continuaremos sendo pessoas normais e se sabemos que é aquilo que queremos não há ninguém no mundo que nos faça mudar de idéia, então para que sentir preconceito desas pessoas, elas não estão nos fazendo mal algum só estão vivendo a vida delas do geito que elas escolheram. O ser humano é preconceituoso porque ele ainda não cresceu espiritualmente para aceitar coisas novas na sua sociedade.
LETICIA MACHADO 3C

Jéssica Porto disse...

A homossexualidade acredito eu,se dá por uma questão psicológica onde a pessoa passa a gostar de outra do mesmo sexo.Muitos homossexuais são também bissexuais,ou seja,gostam de relacionar tanto com pessoas do mesmo sexo quanto de pessoas de sexo diferente ao seu.A democracia foi feita para todo cidadão ter os mesmos direitos e deveres,sendo assim a pessoa que é homossexual não deve sofrer nenhum tipo de preconceito ou constrangimento,pois é um cidadçao igual aos outros, mas com opção sexual diferente.E sendo uma questão psicológica ou genética,cada um faz o quer de sua vida pois tem esse direito e não deve ser condenado por isso.
Jéssica Porto 3c

mariza barboza disse...

Mesmo se amando incondicionalmente é claro que se pergunte:aonde foi que eu errei?mas o amor e a felicidade são mais fortes.acredito que tem coisas que não tem resposta,Deus as coloca para que venhamos crescer e aprender a respeitar o próximo,pois só assim é que teremos um mundo melhor aprendendo a conviver com as desigualdades.
Mariza Barboza







, aprendendo a conviver com as diferenças is forte..
Mariza Barboza

priscila lemos disse...

A propia sociedade fingi que alguns preconcitos nao existem mais, mas na verdade nao funciona bem assim. Acho que cada um de nós deve ter sua liberdad de escolha, as pssoas deveriam se preocupar menos com o porque do homossexualismo, e simplismente respeita-lo.
priscila 3ºc

Rafael de Lima disse...

Acredito que a homossexualidade seja uma opção, e não seja dada por genética, porque devido ao preconceito, muito antigamente o número de homossexuais era muito menor comparado aos de hoje. Isso se dá pela liberdade de expressar seus gostos e desejos. Não tenho nenhum preconceito quanto aos homossexuais, mas ao meu ver não deveriam mudar características em seu corpo por essa opção sexual. Tenho respeito pela opção sexual de cada um, e acho que se essa é a felicidade de quem escolhe relacionar-se com alguém do mesmo sexo, deve ir em frente e encarar todos os preconceitos que até hoje existem.

Rafael de Lima 3ºC

will torres 2° g noturno disse...

NOS DIAS ATUAIS TEMOS QUE COLOCAR NA CABEÇA QUE NINGUEM É PARECIDO COM OUTRA PESSOA.
Cada um escolhe o que é melhor para a sua vida.
Mas principalmente nao devemos ter preconceito com as escolhas das pessoas.
O importante é ser feliz e ficar em paz com as pessoas na nossa volta.
William i. torres 2° da noite

jean disse...

A homossexual, hoje me dia ja é bem mais aceito, do que antigamente. Mas a muito o que conquistar, aos poucos chegaremos la. A homossexualismo não se da por criação ou alguma outra bobagem que as pessoas dizem, e sim por estar no sangue ou outra coisa, mas ninguém escolhe do que vai gostar.

jean 2 F

Anderson disse...

Cada um tem uma opinião sobre esse assunto, já que a pessoa não aceite um homossexual na sociedade pelo menos tenha respeito por essa pessoa.
Pois cada um fez sua escolha se a pessoa é feliz desse jeito deixa ela ser, assim como todos são felizes com suas escolhas que fazem. E também não tenho nenhum preconceito com isso que adianta você ter preconceito se isso pra você não iria mudar em nada.

NOME: ANDERSON SANTOS
TURMA: 3°C

luciana souza da costa disse...

Cada um com seu cada um, ninguém deve colocar sua felicidade em segundo plano por causa de outra pessoa.Homossexuais ou não o importante é ser feliz e ser aceitado no sociedade como é.
LUCIANA DA COSTA 2°F

Jean disse...

Acho que é a questão de atração, normalmente as pessoas sentem atração por outras pessoas do sexo oposto, mas há pessoas que se sentem atraídas por pessoas do mesmo sexo.
Acho que não é por influencia alguma, é apenas a opção de cada um. Acho também que envolve sentimentos.

Jean Mendes 3ºC

RENATA BRITTO disse...

Acho que a sociedade,tem sim preconceito e os muitos pais também tem preconceito,com o seu próprio filho.Acho que cada um é livre pra fazer o que quer,mas de uma coisa eu sei ninguém fica homossexual e sim nasce.Varias pessoas acham que tu vira gay ,tipo a tô afim de ser gay,e não é assim como eles acham que é.Eu não tenho preconceito nenhum,pois acho que são pessoas iguais a todas as outras.Acho que a sociedade se preocupa muito com o homossexualismo das pessoas,e tem muita coisa crave acontecendo que elas nem dão bola, acho qu.e o preconceito sempre vai existir,e isso não vai mudar nunca,assim como racismo .

RENATA BRITTO 2G

bruno alves disse...

Na minha opinião essas pessoas que são homossexual são por que eles querem,e cada um tem direito de faze o que que na sua vida e o que o acho melhor para si mesmo.Mas eu acho quem Muitos dele que se desgostam da vida e tentam mudar sua vida virando homossexual.




Bruno Fagundes 2°

katis disse...

Acho que só entende de verdade o homossexualismo o verdadeiro homossexual!
Acho que o homossexual nasce homossexual,não uma coisa que um dia você acorda e resolve ser!
Por mais que as pessoas aceitem todos têm uma ponta de preconceito até porque cada um escolhe da sua vida o que lhe faz se sentir melhor,e o que é diferente as vezes é rejeitado!
Desde os primórdios a vida já era dividida,os homens caçavam e as mulheres ficavam em casa,sempre teve essa questão mas hoje em dia está mudando!

Katiucia Pires 2°f