segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Diário de um ´viciado´ em Twitter

Diário de um ´viciado´ em Twitter

Guilherme Pavarin, de INFO Online

Segunda-feira, 30 de novembro de 2009 - 19h08

Diário de um ´viciado´ em Twitter
Renata Sagradi, gerente de importação, uma ´viciada´ em tuitar: INFO Online desafiou-a a ficar sete dias sem usar a rede social

SÃO PAULO – De segunda a segunda, a cada cinco minutos, por aí, os ícones azulados do Twitter sobem na tela. Ela checa as mensagens de seus amigos, de sites preferidos e, vez ou outra, tece algum comentário.

A rotina da gerente de importação, Renata Sagradi, de 22 anos, é parecida com a de milhares de brasileiros que adquiriram, nos últimos meses, uma espécie de dependência do serviço de microblog.

O dinamismo e as mensagens curtas de até 140 caracteres do Twitter colaboram para o crescimento da ferramenta no Brasil. Links para notícias e fatos curiosos da internet se proliferam velozmente pela rede, sem requerer opiniões aprofundadas, como acontece com os blogs, por exemplo.

Segundo uma pesquisa recente feita pela E.Life em parceria com a InPress Porter Novelli, 38,5% dos brasileiros entrevistados consideram o Twitter como seu principal serviço de mídias sociais; 63% desses tuiteiros ficam mais de 41 horas por semana online e 81,7% acessa o Twitter em cinco ou mais dias por semana.

Ainda que a amostra tenha sido feita apenas com 1277 pessoas consideradas “heavy users”, engajadas e mais ativas, os números mostram uma mudança de consumo e envio de informações pela internet.

Renata faz parte deste novo grupo. Assumidamente “viciada em Twitter”, ela largou o orkut para se dedicar a horas no microblog, ora acompanhando o noticiário, ora trocando mensagens com seus amigos.

A fim de testar sua força de vontade, INFO Online propôs um desafio: ficar sete dias sem utilizar Twitter; sem checar atualizações e sem enviar mensagens pelo serviço.

De início, Renata não aceitou, mas, depois de alguma insistência, ela cedeu. Pegamos e alteramos sua senha na tarde da segunda-feira, 23 de novembro, e devolvemos na manhã da segunda-feira seguinte, 30 de novembro.

O resumo você pode conferir a seguir, por depoimentos de até 140 caracteres enviados pela própria Renata a nosso correio. Quando ela sentia vontade de tuitar, ou queria comentar algo, escrevia para nós.

Leia também, logo após, o balanço final comentado pelo psicólogo e professor da USP, Cristiano Nabuco de Abreu, que fala sobre a dependência de homens e mulheres da internet.

Artigos Relacionados:

Dia 1 – Segunda-feira, 23 de novembro

@renatinha_s: Uma semana sem Twitter, sem mandar uma mensagem. Não vou conseguir. (18:52)

@renatinha_s: Em dias que estou inspirada ou vendo alguma coisa na TV, já cheguei a tuitar mais de 15 vezes num dia, ou mesmo poucas horas.... (18:53)

@renatinha_s: Mas normalmente são umas 4, 5 vezes por dia. (18:53)

@renatinha_s: Não é todo dia que você tem coisas interessantes pra falar... Não que o meu Twitter seja de utilidade publica, ele é bem pessoal na verdade (19:21)

@renatinha_s: Eu leio quase todos os tuítes de quem sigo, sim, a ponto de voltar páginas e páginas anteriores. (19:21)

@renatinha_s: Espero conseguir ficar sem. (19:22)

Dia 2 – Terça-feira, 24 de novembro

@renatinha_s: Hoje de manhã deu vontade de tuitar vindo pro trabalho, geralmente eu fico no Twitter enquanto estou parada no transito. (12:04)

@renatinha_s: Oh, estou sobrevivendo melhor do que eu esperava! (14:32)

@renatinha_s: Por sorte hoje, e essa semana, o volume de trabalho está grande e não estou tendo muito tempo pra ficar de bobeira... (15:39)

Dia 3 – Quarta-feira, 25 de novembro

@renatinha_s: Não tenho ideia das noticias do dia, que eu geralmente fico sabendo pelo clipping que os amigos falam... (14:37)

@renatinha_s: Estou visitando menos sites, eu geralmente vou pelos links do Twitter... (14:37)

@renatinha_s: Não abri nem Folha, nem Uol ainda hoje! E o trabalho está bem mais produtivo. (14:49)

@renatinha_s: Ok, agora eu senti falta do Twitter... (17:23)

@renatinha_s: Queria muito fazer alguma coisa e descubro o que tem de bacana pra fazer por lá. (17:24)

@renatinha_s: E eu não faço ideia o que meus amigos vão fazer hoje. (17:24)

Dia 4 – Quinta-feira, 26 de novembro

@renatinha_s: Olá, estou viva... Estou bem sem Twitter até agora. (15:22)

@renatinha_s: Aprendi a entrar em sites sem links do Twitter... (16:44)

@renatinha_s: Mas em compensação minha mensagem do Gtalk muda a cada meia hora. (16:44)

Dia 5 – Sexta-feira, 27 de novembro

@renatinha_s: Estou usando menos internet... Não poder usar Twitter é um incentivo pra nem ligar o computador quando chego em casa. (11:08)

@renatinha_s: Agora está crítico... Antes de sair do trabalho, eu sempre dou aquela geral (leia-se, fuço na vida alheia mesmo) pra ver o que as pessoas estão pensando em fazer. (18:01)

@renatinha_s: Mas tive que me limitar a falar com algumas pessoas só no Gtalk mesmo... (18:01)

Dia 6 – Sábado, 28 de novembro

@renatinha_s: Sobrevivi. (09:22)

@renatinha_s: Hoje fiquei de boa sem Twitter... (17:49)

@renatinha_s: Mas se uma amiga minha não estivesse ligada no twitter a gente ia perder um bazar mega bacana... (17:50)

@renatinha_s: Eu sou daquelas que adora tuitar na balada... Não posso. (23:33)

Dia 7 – Domingo, 29 de novembro

@renatinha_s: Domingo é quando eu menos uso Twitter, então senti menos falta. (19:33)

@renatinha_s: A verdade é que, né, descobri que twitter é algo totalmente dispensável... (19:50)

@renatinha_s: A "ansiedade" de me expressar foi passando com o tempo... (19:50)

Dia 8 – O fim do desafio

@renatinha_s: Hoje de manhã, logo que pude já acessei o twitter do meu celular, dentro do metrô mesmo. (10:28)

@renatinha_s: Uma semana longe do Twitter e não tinha uma mensagem sequer pra mim! (12:20)

Ser ou não ser dependente do Twitter

Ao terminar a prova, perguntamos à Renata se depois do experimento ela se considerava dependente do Twitter. Ela respondeu: “Hum, difícil saber. Ele está aqui, abertinho. A questão é que ele é absolutamente dispensável, mas para que ficar ‘sem’ se é tão divertido ‘com’?”.

Para o psicólogo Cristiano Nabuco de Abreu, especialista em internet, uma pessoa só é considerada “viciada em internet” quando não consegue ter controle de seu hábito online. Como exemplo, ele cita o piloto Rubens Barrichello, que declarou recentemente que não deixa de responder as mais de mil mensagens que recebe no Twitter – muitas delas ofensivas.

Segundo o psicólogo, o vício não pode ser medido por horas online, e sim, por comportamento fora dos computadores: “O indivíduo dependente não consegue aplicar as lições do mundo da internet, que é mais moldável, no real. É uma conexão quebrada. Quando não consegue manipular a realidade a seu favor, a internet vira escape”.

Cristiano de Abreu cita duas mudanças no comportamento atual promovidas pela internet e que servem para aumentar o número de dependentes: a primeira delas é a mutação drástica no tratamento da intimidade, muito mais aberta; e a segunda é a busca pela saída do anonimato.

Esses comportamentos se resumem a uma necessidade de trocas emocionais, de acordo com Cristiano de Abreu, que diz que elas, de certa forma, são supridas pelas redes sociais e até por games online.

“O problema é quando as pessoas trocam suas atividades do mundo real, as sacrificam, para passar mais tempo conectadas. Isso se torna um malefício”, afirma.

Em meio a tudo isso, será que Renata pode ser considerada uma pessoa dependente de internet e do Twitter? E você? Faça o teste no site Dependência de Internet e descubra.

Atividade: O aluno deverá fazer o teste, clicando no link acima e, posteriormente, fazer um comentário sobre vícios de Internet (Twitter, Orkut, MSN, E-mails, etc.)


Créditos: http://info.abril.com.br/noticias/internet/diario-de-um-viciado-em-twitter-30112009-50.shl

17 comentários:

Bruno jachson mendes disse...

São muito uteis os sistemas de sites de relacionamentos, mas ao mesmo tempo pode ser muito perigos pois quando a pessoa vicia é muito dificil sair pois , cada vez que a pessoa está off-line quase entra em depressaõ , eu sei disso pois fui viciado em jogos on-line , mas consegui superar e hoje ganho dinheiro com oque antes apenas era um vicio.

Jéssica Porto disse...

Sobre este assunto não tenho muito o que falar,pois não sou adepta do twiter,mas o que eu acho é que esse tipo de site de relacionamento prejudica e muito a convivência com as pessoas reais,já que pelo twiter só há conversação virtualmente.
E outra,dependendo do caso há uma exposição muito grande de quem é tuiteiro,pois muitos relatam detalhe por detalhe do que fazem em seus dias.Como tudo na vida é preciso medirmos tudo sem exagerar.Cabe aos tuiteiros de plantão saberem dosar o uso do twiter para que não atrapalhe suas atividades rotineiras.
Jéssica Porto 3C

Bruna disse...

hoje a internet não faz parte da minha vida são raras as vezes que entro e quando entro é só para me comunicar com alguém.Por isso não me considero uma pessoa dependente da mesma pois jamais deixaria de sair ou de conversar com alguém para ficar on-line.Acho que as pessoas tem que considerar a internet como uma forma de se divertir as vezes não como uma forma de viver.Bruna vahl 3C

katis disse...

Bom eu praticamente não uso a internet e acho que não é uma coisa que tem tanto valor para mim porque consigo dividir a realidade da ilusão da internet,mas se fosse tão usuária acho que seria meio dependente.
Prefiro ficar com meus amigos pessoalmente do que conversar com ele pela net porque gosto de ver a reação das pessoas,gosto de sentir a presença delas,é bem mais real do que sentir o computador recebendo informações.
Acho que também esses sites de relacionamento e etc. fazem com que a pessoa meio que desaprende a escrever e isso não faz minha cabeça.]
Katiucia Pires 2 °f

samantha disse...

Samantha 2f

A internet é uma maneira de obtermos conhecimento fácil e rápido porem, muitas pessoas acabam se viciando, ou seja se disligando da vida real para entrar em "sistema" de vida virtual.O vicio da internet só nos prejudica,pois afeta de uma maneira bem radical a nossa vida pesoal.
As principais fontes de começar a se viciar é o orkut e o msn,porque as pessoas começam a se divitir e essa diverção com o tempo fica exagerada ou seja viciosa,as pessoas tem que se tocarem que a vida continua porque o tempo não para e a vida não é só a internet!

ALISON disse...

Alison 2f
Poso dizer que sou uma pessoa que não sou muito adapto ao acesso da internet,pois quando entro é só para fazer alguns comentários em blog e quando requer tempo entro no orkut só por entrar.
Acho que não sou viciado em twiter,pois considero a internet um ponto de diversão e
não como um modo de depender dela.

dariane disse...

Concerteza a internet nos ajuda muito no dia a dia,mas também nos atrapalha muito.
salas de bate papo, comunidades de amizades etc. acabam fazebdo parte da nossa rotina e atrapalhando a nossa vida pessoal.mas o certo é levar tudo ao mesmo tempo sem deixar algumas coisas interferir em outras.

claiton disse...

Acho que a internet é uma peça fundamental para o trabalho hoje em dia, mas a maioria das pessoas não usam para o trabalho mas sim para si mesmo mexendo no orkut, msn etc... , ficar la horas e mais horas no mesmo lugar falando com os colegas do colégio da escola, eu não consigo nem ficar uma hora na frente do pc e já me da no nervos.
Eu tenho uma amiga que fica na frente do pc quando esta em casa so não fica o dia inteiro porque vai para a escola a tarde, mas quando ela esta em casa ela esta na frente do pc. Acho que isso acontece por falta de compromisso com pessoas que não trabalhão e não tem mas nada para fazer por isso ficam la horas e mais horas acho que é por isso que as pessoas ficam tanto tempo na frente do pc.

claiton jeske 2º

RENATA BRITTO disse...

Acho que o computador é a melhor tecnologia já enventada.Pena é que existem pessoas que não sabem desfrutar do que ele oferece de bom,só procurar o que há de ruim como namorar pela internet ou falar com varias pessoas ao mesmo tempo,pra mim isso é muito virtual e não faz o meu tipo,até por eu gosto é de outras coisas que o pc me oferece como pesquisa e varias outras coisas.Não sou viciada em mns,orkut e pra dizer melhor esse outro site twitter eu nem conheço,mas tem pessoas que não conseguem ficar um minuto fora do pc,acho que isso estraga muito o ser humano por ele acaba perdendo a sua vida social, e entra para um mundo virtual completamente diferente da vida normal.

mariza barboza disse...

A internete faz parte de nossas vidas e cabe a nós sabermos usá-la de maneira correta,temos que usar para algo que irá nos beneficiar e não para ficarmos dependentes e evitarmos o contato com outras pessoas.
Muitas pessoas ficam horas em frente do computador procurando algo que preencha suas vidas,se tornam tristes e se isolam das outras pessoas.
Mariza barboza 3c

leticia machado disse...

A tecnologia foi feita para nos seres humanos domina-lá e não ao contrario. Pois vemos que não é bem isso que acontece, as pessoas deixam de viver suas vidas para ficar num mundo virtual, o qual acaba os prejudicando tanto socialmente quanto profissionalmente.
LETICIA MACHADO 3C

Rafael Lanzetta P. disse...

Quem é usuário, geralmente é viciado, porque a internet se torna o meio de comunicação mais utilizado pelas pessoas.
Algumas pessoas vivem vidas na internet, que sem ela não são nada, vivem mundos de faz de conta, o mundo virtual.
Temos que limitar o tempo que passamos na internet, e vivermos na realidade durante mais tempo aproveitando a vida de diversas maneiras.

RAFAEL LANZETTA P. 3ºC

Felipe Dutra disse...

Na minha opinião, são muito úteis os sites de relacionamento sendo bem usados. Claro que tudo em exagero é ruim para qualquer pessoa, mas por exemplo na minha vida é muito útil esses sites de relacionamento, porque minha namorada mora longe, é uma da formas que possa me comunicar com ela, no meu caso não uso o twitter, mas uso o Orkut e o msn que são mais fácil de me comunicar com ela.

Felipe Dutra 2G

Jaqueline Meireles 2 F disse...

O vício na internet é um grande problema dos tempos modernos.
A internet nos trouxe muitos benefícios e é essencial para muitas atividades cotidianas, mas ao mesmo tempo ela pode ser prejudicial para pessoas que abusam do seu uso e acabam se tornando víciados nela.
As poucos as pessoas vão deixando de viver a realidade para viverem na fantasia da internet.
Acho que devemos saber aproveitar tudo que a internet tem de bom para nos oferecer saudávelmente, sem exageros.

Rosiane disse...

A internet é fundamental nos dias de hoje e nos proporciona conhecimento, diversão e etc. Cabe a nós saber disfrutar de tudo que ela nos proporciona e não nos deixar que sejamos dominados por ela.
E é isso que eu faço necessito mas não sou nenhuma dependente. Possuo e-mail por ser uma ferramenta fundamental nos dias de hoje, e orkut por diversão mesmo.

Rosiane Santana 2ºF

karina disse...

O mundo virtual é muito bom,mas devemos lembrar que comunidades de relacionamemto,etc. sao para nosso enterterimento e nao para nos aprisionar.
Muitas pessoas deixam de viver no mundo real para ficar no virtual,e isso acaba se tornando um vicio que nao vale apena.
karina 2G

luciana souza da costa disse...

Eu não me considero uma viciada em internet, embora tenho orkut, e-mail e msn,mas não dou muita atençao pra isso.
Para algumas pessoas isso se torna depência, não podendo passar um só dia sem entrar na internet.
Acho que eu não dou tanta atençãopoi não mtenho conputador em casa e meu acesso à internet é limitado.
As pessoas deveriam esquecer um pouco a internet e se comunicar mais pessoalçmente.
Luciana da Costa 2°f